Please reload

últimos posts

TPI - World Golf Fitness Summit 2018

17 Oct 2018

1/5
Please reload

Entradas destacadas

TPI - World Golf Fitness Summit 2018

October 17, 2018

 

 

 

 

O TPI foi lançado a mais de uma década como um órgão de pesquisa e treinamento dedicado aos atletas patrocinados pela Titleist

 

e como um programa de educação de profissionais ao redor do mundo, de um ponto de vista mais científico. O grande objetivo do fundador da Titleist era criar um metodo fácil de ser implementado com jogadores de todos os níveis para melhorar a qualidade técnica do jogador e assim ganhar performance e longevidade no jogo.

 

Este ano o TPI voltou a esse mesmo tema que deu início a tudo. O título deste ano era “Yards and Years” e como através de novas técnicas e é possível melhorar a distância da bola (técnica) e possibilitar uma vida longa em campo (longevidade). Como conseguir que o jogador jogue com mais saúde melhorando a qualidade do treino ténico e aprimorando sua funcionalidade com treinamento físico.

 

Este congresso reuniu mais de 800 pessoas de 30 países. 50 dos maiores líderes do mercado. Coachs, treinadores, pesquisadores, médicos e jogadores profissionais foram palestrantes durante três dias e compartillharam suas técnicas e pesquisas nos mais variados assuntos, mental game, ensino de técnica, nutrição, fitness, e experiência pessoal.

 

 

As tendências do mercado e as tecnologias

 

 Na área técnica observa-se como o uso da tecnologia está enraizado na análise e ensino do Swing. A maioria dos palestrantes usa algum software de análise como o Boditrak, uma plataforma de força e pressão que mostra a distribuição do peso durante os movimentos, o Kvest, software de análise cinética do Swing que aponta os erros técnicos no movimento segmentado do corpo.

 

Outros aparelhos de análise da  velocidade e voo da bola também fazem parte no dia a dia da maioria destes profissionais e dá a impressão de que qualquer profissional líder da sua área que não está usando estas tecnologias, já está em desvantagem. 

 

Analisar os dados que a tecnologia proporciona não é tarefa fácil, mas não exige um diploma em engenharia para poder obtermos benefícios dos aparelhos. Algumas empresas como o Golf Lab do Canadá oferece cursos para ensinar os profissionais a usar esses dados a seu favor e poder melhorar a experiência do aluno.

 

 

 

Treine com explosão, jogue com explosão

 

Este termo foi muito discutido por Greg Rose, e depois corroborado por outros palestrantes. Se o esporte exige movimentos de explosão, mas o treinamento não envolve movimentos que unem velocidade e força, isso acaba sendo um desserviço pois este jogador está fadado à baixa performance e possivelmente lesão.

 

O treino de força está provado ser o caminho mais rápido para o aumento da potência e mesmo assim muitos jogadores ainda pensam que o treino de força vai encurtar os músculos e prejudicar a performance. 

 

" Músculos não ficam tensos e encurtados, a sensação de encurtamento pode ser causada por várias razões:

Problemas mecânicos (articulações), disfunção do sistema da fascias, neurológico ou químico (inflamação e doenças que afetam o sistema musculo-esquelético).

Músculos encurtados não existem"

 

Dr Greg Rose, fundador do TPI

 

 E quais são as áreas mais importantes para desenvolver a explosão do swing? 

  1. Ground mechanics: Como o atleta usa o chão para produzir energia. Transferência de peso e força aplicada. Analisado pelas plataformas de força como o Boditrak.

  2. Sequenciamento rotacional: o enrolar e desenrolar do corpo e a sequência na qual os segmentos se movem. Taco, mão, ombros, tronco e quadril. Analisado pelo gráfico da sequência cinemática do K Vest

  3. Lag: é o uso das forças rotacionais do taco no downswing e os ângulos que ele precisa manter para uma tacada mais potente. Analisado através da filmagem

Esses três componentes andam interligados é basicamente se um deles está errado, os outros vão sofrer. Por isso é extremamente importante para o atleta de alto rendimento analisar cada aspecto da potência.

 

 

 

 

"Movement that golf likes....

or 

Golf like movements"

Gray Cook

 

 

Tendências do fitness

 

As tendências no treinamento fitness parecem que andam ao contrário da área técnica. Pude participar de aulas praticas de duas Técnicas de mobilidade articular e força que usam somente o próprio peso,  o Kinstretch e Eldoa. Ferramentas simples como Kettlebell, barras de levantamento de peso olímpico e  Indian clubs são enaltecidas pela sua simplicidade e eficiência quando se trata de treinamento físico. A ideia da simplicidade e do "Back to the basics" é extremamente interessante pois oferece facilidade ao jogador para poder treinar em ambientes onde o acesso à academia super equipada não é posssivel. Tanto Kettlebell como os indian clubs são equipamentos com centenas de anos de uso e com comprovados benefícios por ajudar a melhorar a coordenação, timing, simetria e fluidez do movimento e por proporcionar uma melhor compreensão do movimento integrado e tridimensional. Gray Cook, fundador do FMS e parte do conselho do TPI falou sobre estas ferramentas como a melhor maneira de manter a saúde articular e treinar força e potência. E um exemplo disso foi a palestra com o campeão de Longest Drive do mundo Justin James que mostrou os exercícios que ele faz no dia a dia e que incluem movimentos rotacionais explosivos, exercícios balísticos e muito levantamento e peso, Kettlebell e saltos para desenvolver a potência e preservar seu corpo para as imensas forças que precisa estabilizar durante um Swing de mais de 400y.

 

Como todo congresso de golfe, havia neste uma feira de equipamentos para testar e dentre eles algumas marcas conhecidas como o Super Speed , para treino de velocidade, Kvest e Boditrak, Rad roller para auto massagem e liberação miofascial, Perform Better com equipamentos de treino funcional, Life Fitness com máquinas de sala de musculação e muitos mais.

 

 No mais foi como sempre uma experiência enriquecedora e que com certeza vai me ajudar a poder proporcionar um melhor atendimento aos meus alunos. Agradeço a CBGolfe e ao nosso presidente Euclides Gusi pela oportunidade.

 

Share on Facebook
Share on Twitter